segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Espelho!


A loucura de nossos corpos
Ainda se estampa na cama desarrumada
No cheiro do cio, no desejo vadio
No prazer da lembrança, já tão desejada

Com lábios entreabertos
Qual menina serelepe num grito proclama
Sou teu homem, teu olhar espelha
O prazer que adivinha, já deitada na cama

Que frescura amiudaria o calor
Que inflama o desejo, nua, vadia
Minhas mãos, o toque, teu sexo já umido
Aceita o meu prazer, da alcova a magia

Nos tocamos... libertos na luxúria prazer
Bocas se abrem, olhos se fecham, a alma acalma
Sem limite, padrão, nem restrições
Descobrimos um mundo de luz e de paixões

Meu cheiro te marca o corpo com meu gosto
E tu me invades pronta para amar
Excitada, faminta, loba descontrolada
A mim entregas teu desejo, a gana de gostar

Devassa em cárcere de amor confesso
Qual Cleópatra, me faz teu César
Submissa e louca, sempre amada por mim
É..."Nosso amor é simples assim!"

Nel Lyra

Um comentário:

Rozeli Mesquita - Sensualle disse...

Muito lindo...Parabéns. Ficou pefeito o poema resposta.